Mulher-Maravilha
Roteiro
Atuações
Resolução
3.3Nota do Filme

Finalmente um dos filmes mais aguardados de super-heróis do ano estreou. Dessa vez protagonizado por uma mulher, ou devo dizer, a mais poderosa das mulheres. Mulher-Maravilha abre um novo horizonte de oportunidades para Warner DC depois dos polêmicos Batman Vs Superman (2016) e Esquadrão Suicida (2016). Mas será que a super-heroína conseguiu superar as expectativas?

Voltando as origens

Se o Superman de Henry Cavill deixa a desejar no quesito semelhança com os quadrinhos onde o personagem é sinônimo de esperança, os fãs da Mulher-Maravilha podem ficar tranquilos pois filme é muito fiel as histórias de origem da amazona. Gal Gadot incorpora com unhas e dentes o papel da protagonista que nos dias de hoje convenhamos que seja difícil de se interpretar. Principalmente quando o avião invisível não pega mais tão bem.

Sob o comando da diretora Patty Jenkins o filme conta a história de Diana Prince, (Gal Gadot), uma jovem princesa amazona motivada por histórias de guerra de seus antepassados. Quando o piloto Steve Trevor (Chris Pine) cai de avião numa praia local, Diana descobre que uma terrível guerra está dizimando o mundo dos homens. Decidida a pôr um fim no conflito, a princesa deixa sua ilha e usa seus poderes para salvar inocentes.

O caminho certo para DC

Todos sabemos que a Warner DC tem sido alvo de algumas críticas fortes devido ao seu recente histórico de produções que deixaram a desejar. Bom… parece que isso está começando a mudar. Mulher-Maravilha começa com uma história de origem envolvente, onde cenas de luta lentas são o ponto forte do primeiro ato. Belos movimentos de ação foram desenvolvidos pela diretora do filme, algo que não tínhamos visto em tamanha performance num filme da DC antes.

Gal Gadot está muito bem como a super-heroína e sua combinação de ingenuidade com vontade de fazer o bem não é algo forçado. Sua relação com o espião Steve Trevor é muito bem desenvolvida, onde o personagem funciona como uma espécie de mentor no “mundo dos homens” para a princesa amazona.

Mulher-Maravilha em ação

O maior acerto do filme é a possibilidade de vermos os impactos que a grande guerra tem sobre a personalidade da personagem e claramente conseguimos perceber a evolução da mesma durante o filme. Entretanto, alguns problemas começam a se destacar a partir do segundo ato.

Um final problemático

Considero que a vilã Doutora Veneno me deixou um pouco decepcionado. Não porque ela deveria ser o grande desafio da história, mas porque sua apresentação no enredo foi muito bem elaborada e isso trouxe um desejo em vermos melhor seu potencial, isso não aconteceu.

Doutora Veneno

Outro grande problema é a tentativa desesperadora de fazer um final heroico épico. Logan já nos mostrou que isso não é mais necessário para um filme de super-herói ser bom. As cenas de conclusão são forçadas demais e temos no mínimo de 3 a 4 minutos desnecessários no longa.

O filme que funciona

Dentre os erros acertos do filme, considero satisfatório o que foi apresentado em Mulher-Maravilha. Não por apresentar um roteiro épico ou reviravoltas marcantes, mas sim por mostrar o potencial e força de uma mulher no mundo dos heróis em um filme que funciona para todos os públicos. Algo que faltava muito na Warner DC até o momento, arrisco-me a dizer que o momento da DC nos cinemas começou a melhorar.