Deadpool Extra #1
Ilustrações
Desenvolvimento
História
4.5Nota da HQ

Após os eventos ocorridos durante a nova saga Guerras Secretas, o Universo Marvel dos quadrinhos se renovou, e adentramos na Totalmente Diferente Nova Marvel. Praticamente todas as revistas mensais foram zeradas com o objetivo de buscar novos leitores e não deixá-los perdidos em meio a já estabelecida linha temporal do Universo. Dentre as recentes edições lançadas pela editora, a mais improvável foi a que mais me chamou atenção. Deadpool Extra #1 é um crossover com Gavião Arqueiro que começa com o pé direito nessa nova fase Marvel, contando um boa história recheada de ilustrações incríveis.

É Dia das Bruxas…

Em pleno dia das bruxas, dois veteranos do Universo Marvel: Deadpool (Wade Wilson) e Gavião Arqueiro (Clint Barton) presenciam um caso de assassinato e conspiração envolvendo informações secretas da Shield, além de um grupo de pessoas controladas por um psiquiatra perturbado. Os dois heróis ainda contam com a ajuda da Gaviã Arqueira (Kate Bishop), que em meio a conflitos pessoais e sequências frenéticas de ação, se unem para impedir o pior.

Surpresa

Nunca fui um grande fã das mensais do Deadpool. O personagem sempre me chamou mais atenção sendo coadjuvante nas aventuras de outros super-heróis monstrando sua total falta de noção e loucura pessoal, adjetivos que serviam para quebrar o gelo de uma história muitas vezes séria demais. Contudo, Deadpool Extra #1 provou que o mercenário tagarela tinha um potencial oculto, que esperava ansiosamente ser revelado ao público.

Desde o primeiro encontro entre Clint e Wade já nos sentimos presos a história, que a partir de diálogos simples consegue muito bem proporcionar o elemento mais importante de um quadrinho: diversão. Juntos, os dois super-heróis deixam suas diferenças de lado e partem rumo a uma investigação que envolve elementos interessantes como controle mental, ameaça a shield e a vilã Gata Negra (originalmente antagonista do Homem-Aranha).

As artes de Matteo Lolli e Cris Peter devem ser elogiadas pela clareza dos eventos que a revista tenta repassar aos seus leitores. Temos belíssimas cenas de ação e uma paleta de cores vivas. A história em si não é sanguinária porque não precisa, a aventura é muito bem explorada a partir da interação entre os personagens, principalmente entre os protagonistas.

Deadpool, Gaviã e Gavião Arqueiro

O roteiro de Gerry Duggan ganha por explorar de maneira inteligente o perfil cômico de Wade em relação a tática seriedade de Clint. Percebemos claramente ao longo da história que o Gavião não consegue seguir no mesmo ritmo perturbado de Deapool, que causa boas risadas ao leitor. Talvez o único defeito dessa primeira edição seja o fato da conspiração que evolve os super-heróis ser um pouco superficial, deixando o leitor um pouco decepcionado com simplicidade do caso detetivesco. Contudo, isso não significa que as próximas edições não possam estar melhor construídas em termos de roteiro investigativo.

Combinação de sucesso

Quem diria que uma junção entre Deadpool e Gavião Arqueiro poderia dar tão certo? Pois é, funcionou. E mal posso esperar para acompanhar o que acontece na segunda edição dessa mensal que me fez perceber que não existem maus personagens quando se tem competência para criar uma boa história de quadrinhos.