Os Defensores - 1ª Temporada
Enredo
Personagens
Resolução
3.7Nota da 1ª Temporada

No grande crossover entre super-heróis da parceria Marvel/Netflix, Demolidor (Charlie Cox), Jessica Jones (Krysten Ritter), Luke Cage (Mike Colter) e Punho de Ferro (Finn Jones) colocam suas diferenças de lado para salvarem a cidade de Nova York da maior ameaça já enfrentada pelos heróis. Após as histórias de origem terem nos sido apresentadas individualmente nas séries anteriores, o que Defensores conseguiu nos trazer de novidade?

Quadrinhos na TV

O que ficou bem claro no episódio piloto de Defensores foi a coloração das cenas dos quatro protagonistas. Matt Murdock (Demolidor) exposto aos tons fortes de vermelho, Jessica em seu clássico roxo, Luke com amarelo e Danny (Punho de Ferro) sob verde. Isso foi um estratégia inteligente preparada para fortificar a sensação de independência e importância dos heróis separadamente, muito semelhante ao que os quadrinistas utilizam para apresentar seus personagens. E de fato, cada um dos heróis foi fundamental para o arco dessa primeira temporada.

A trama é intensa e a narrativa se encaixa aos personagens modo particular, o que é um dos pontos fortes da série. Jessica Jones investiga um caso misterioso envolvendo o sumiço de um arquiteto. Luke volta da prisão e persegue jovens do Harlem que estão realizando serviços criminoso. Danny ao lado de  Colleen Wing procuram membros do Tentáculo, enquanto Matt vive seus momentos de aposentaria do título de Demônio de Hell’s Kitchen.

Tentáculo, o “Thanos” da TV

Assim como nos cinemas, todas as histórias da Marvel possuem um elemento vilanesco central que cria a ligação entre os heróis. Em Defensores, o Tentáculo, sociedade secreta criminosa, é apresentado sob comando da vilã Alexandra, uma mulher inteligente e misteriosa interpretada por ninguém menos que Sigourney Weaver (Alien, o 8º Passageiro  – 1979).

Alexandra, líder do Tentáculo

Apesar da série não ter aproveitado muito bem o potencial de Alexandra como vilã soube trabalhar no tom ameaçador da personagem, principalmente sobre seus subordinados do tentáculo.

Boa química, mas ação fraca

Apesar da química entre os heróis funcionar muito bem alternando momentos dramáticos e cômicos, faltou ação. Não digo cenas de movimento, isso tem bastante, mas faltou qualidade. Qualidade que tínhamos visto em peso nas duas temporadas de Demolidor. Não me lembro de nenhum momento épico que ficará marcado na minha mente ao lembrar de Defensores, e falando em um universo de super-heróis, isso conta bastante.

Entretanto, ao contrário das outras séries da Netflix Defensores não desperdiçou episódio, e de modo simples consegue contar sua boa história embora que ainda fiquem algumas perguntas soltas pelo ar.

Um universo a crescer

Sinceramente eu esperava mais, mas isso com certeza deve-se a ansiedade e expectativa depositadas nessa primeira temporada da equipe de heróis urbanos. De qualquer maneira, a série vale a pena ser assistida e é um acréscimo considerável ao universo de heróis da Marvel, que no final do ano fica maior com a chegada da série solo de Justiceiro no serviço de streaming.